Da vida...

12 de outubro de 2014

Ontem quando li isto  fiquei como se tivesse levado um murro no estômago. Gelei e fiquei com um nó na garganta que nem conseguia engolir sem sentir uma espécie de sufoco. Somos obrigados a levar com a merda da morte todos os dias, somos obrigados a enfrentá-la! É horrível uma morte súbita, é horrível uma morte derivada de uma doença, mas isto de marcar o dia para morrer por causa de uma doença... É compreensível, eu compreendo! Compreendo e acho bem o direito de escolha, o direito de evitar o sofrimento e o desejo de morrer "da forma que se é" e não destruído por causa da doença, mas é de uma enorme coragem. Não quero imaginar o marido, os pais, pessoas que rodeiam esta jovem de 29 anos. A vida às vezes leva-nos a fazer coisas horríveis... Estas histórias fazem-me pensar muito, fazem com que muitas vezes pare para pensar e fazem com que me questione se estou a fazer da minha vida aquilo que quero, se estou feliz. Às vezes chego a perguntar a mim própria "se morresse agora morria feliz? Morria orgulhosa do meu percurso?" a resposta obviamente é não. É não porque ainda quero fazer muita coisa e atingir muitos objetivos. E será que faço por os atingir? Muitas vezes não, muitas vezes perco tempo com coisas sem jeito nenhum. Mas isto é mesmo assim. Toda a gente sabe que de um momento para o outro tudo pode acabar, mas nem isso serve para deixar o orgulho para trás, para pensarmos na nossa felicidade e para deixarmos de nos preocupar com a opinião dos outros. É tudo tão complicado... Já que a vida é uma passagem, por vezes tão rápida, devíamos poder aproveitá-la sem tantas regras, sem tantas intrigas. Não podemos dominar a morte, mas devíamos poder dominar a vida e fazer dela aquilo que queremos para o nosso próprio bem... 

6 comentários:

  1. Também vi essa notícia e fiquei chocada, mas lá está são escolhas ..
    Bom Domingo *

    ResponderEliminar
  2. A eutanásia é um assunto que dá sempre aso a imenso debate...é um assunto delicado, mas só quem está em situações limite é que poderá compreender. E, no meu entender, se as pessoas já tomaram a decisão, vão fazê-lo quer sejam medicamente assistidas, quer não...
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Não gosto de falar sobre morte, muito menos quando a morte é mais uma batalha contra o maldito c.
    Porém acho que devemos respeitar a vontade da rapariga. É dificil para quem cá fica, mais difícil é para quem toma uma decisão destas...

    Um dia talvez, escreverei sobre este assunto...

    Oblogdadondoca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Acima de tudo é o direito à dignidade. Mas que dói, isso dói!

    ResponderEliminar
  5. Olá!!
    Eu só sei que depois de todas estas notícias de mortes que se vêem e lêem todos os dias ficamos tocados (pelo menos falo por mim) e tento mudar sempre a minha forma de ser, pensar e agir. Agora penso 2x antes de qualquer coisa porque como dizes às vezes a vida é curta demais e não a aproveitamos como deveriamos. Custa perdoar, custa levantar da cama para o frio da escola, custa aturar as birrices dos nossos familiares..."custa" porque no fundo não custa nada. Ter o sorriso de quem amamos todos os dias ou ter o privilégio de ter água, comida, um teto, pessoas que nos amam, poder andar na faculdade é tão bom que por vezes o pessoal só se lembra de se queixar de coisas fúteis em vez de dar valor ao que temos e ao que conseguimos até hoje. São notícias destas que me fazem ter ainda mais vontade de dar tudo de bom de mim a quem mais amo porque sem eles não sou nada e eles sem mim igualmente. Há que aproveitar cada dia como se fosse o último <3 Obrigado por teres mostrado a notícia e por teres partilhado o post. De nó na garganta e lágrima no canto do olho posso dizer que sou feliz e se morresse hoje morreria feliz <3 Beijinho grande e ânimo!! Estas coisas só servem para moldar a nossa personalidade e dar-nos força para todos os dias!!

    www.naturecolourviolet.blogspot.com

    ResponderEliminar